Translate

domingo, 13 de abril de 2014

Psico e Saúde: Saiba se você escolheu certo SEU TERAPEUTA

Escolhi corretamente meu terapeuta?

 

Diversas pessoas sempre me perguntam como saber se seu tratamento terapêutico está sendo bem encaminhado, ou se ela escolheu corretamente um profissional. Sempre digo que depende de diversas variáveis, como a linha teórica seguida pelo profissional, suas características pessoais, a combinação das características pessoais dele com a do paciente/analisando, o momento vivido por ambos, dentre diversos outros fatores. Porém, há sim fatores relativamente objetivos a se analisar nesta relação, capazes de definir se, no mínimo, o tratamento está sendo produtivo e profissional.
 
Devemos sempre ter em mente que há profissionais ruins em qualquer área, como também há pessoas desonestas também. O fato de seu terapeuta ser introvertido, conversar e se abrir pouco com você sobre a vida dele, não necessariamente significa que é um mal profissional: isto só vai afetar você se sentir desconfortável por falta de feedback. Mas se o terapeuta costumeiramente rebaixa suas afirmações, ignora seus argumentos e sempre se coloca como dono da verdade, é um grande sinal de que esta relação terapêutica não é profissional, e que há grande chance dele, de maneira abusiva e antiética, estar tentando, no mínimo, induzir uma dependência psicológica para segurá-lo como paciente.
 
Este é um assunto muito delicado. Nenhum ramo profissional gosta de ser analisado. Provavelmente algumas pessoas da área criticarão esta ferramenta para análise da terapia. Não tiro o mérito delas: este formulário serve apenas para que você reflita sobre sua relação terapêutica: caso o resultado seja negativo ao final, não significa que você deve largar seu tratamento. Apenas significa que seria aconselhável você se consultar com outro profissional para verificar se se sente mais confortável e confiante.
 
Um bom terapeuta deve reunir determinadas características para dar ao paciente as condições de mudança que ele necessita, dentro de limites e num ambiente (chamado setting terapêutico) seguro o suficiente para que ele possa expressar suas verdadeiras emoções. Ele deve olhar para o rosto dos pacientes e responder suas perguntas, seja sobre as dificuldades dos mesmos, seja sobre alguns aspectos de si mesmo.  Mas cada relação terapêutica é única, ainda que seja entre as mesmas pessoas, em momentos diferentes da vida de ambos.
 
Abaixo segue o questionário, retirado do sitio da UNAT (União Nacional dos Analistas Transacionais - www.unat.com.br), e de autoria do Dr. Cecílio Kermann, co-diretor do Instituto Privado de Psicologia Médica em Buenos Aires. Escolha para cada pergunta uma das opções (Nunca, raramente, algumas vezes, frequentemente ou sempre). Não deixe de responder a nenhuma delas. Ao final, clique no botão 'Calcular', e de acordo com o total de pontos, veja qual a situação de sua relação terapêutica.
 
Recomende esta pesquisa a amigos! Divulgue! Pois há pessoas que, fragilizadas pelo momento em que vivem, toleram tratamento de maus profissionais e não tem a percepção de que estão pagando um tratamento que não lhes faz bem!


1- Sinto-me cômodo com meu terapeuta:

 
2- Meu terapeuta sente-se cômodo comigo:
 
 
3- Meu terapeuta é flexível e informal em lugar de rígido e formal:
 
 
4- Meu terapeuta me trata como uma pessoa que está aprendendo novas condutas, não como a um enfermo:

 
5- Meu terapeuta é aberto a novas idéias:

6 - Meu terapeuta tem boa disposição e sentido de humor:


7- Meu terapeuta demonstra o que sente por mim:


8- Meu terapeuta admite suas limitações e não procura demonstrar saber coisas que realmente não sabe:


9- Meu terapeuta admite seus erros em lugar de justificar sua conduta:


10- Meu terapeuta responde diretamente as minhas perguntas ao invés de perguntar o que eu penso:


11- Meu terapeuta revela coisas sobre si mesmo espontaneamente ou em resposta às minhas perguntas:


12- Meu terapeuta me convida a sentir que sou tão bom(boa) quanto ele:


13- meu terapeuta atua como se fosse meu consultor, não o CONDUTOR de minha vida:


14- Meu terapeuta estimula as diferenças de opinião ao invés de dizer que são resistências, se discordo dele:


15- Meu terapeuta se interessa em conhecer as pessoas que compartilham minha vida: minha família, meus amigos, companheiros de trabalho ou qualquer outra pessoa importante para mim:


16- As coisas que o meu terapeuta diz tem sentido para mim:


17- Em geral, o contato com meu terapeuta aumenta minha esperança e auto-estima:


pontos.
 
-Menos de 40 pontos: se você refez o questionário e novamente calculou menos de 40 pontos, significa que há grande chance de NÃO SER RECOMENDÁVEL CONTINUAR COM ESTE TERAPEUTA. Procure se consultar com outro profissional imediatamente!
 -Entre 40 e 50 pontos: você não se sente bem com seu terapeuta, e/ou esta relação não está lhe fazendo se sentir confiante, e desenvolver sua independência emocional ou senso crítico. Avalie a possibilidade de você se consultar com outro profissional, e veja como se sente.
 - Acima de 50 pontos: você sente-se bem na relação terapêutica, e ela está lhe fazendo desenvolver sua independência emocional e seu senso crítico de uma forma que sente-se protegido e confiante. Recomendável não trocar de profissional, mas se preferir, pode se consultar com outro para agregar nova linha em seu tratamento (mudar os ares sempre é bom, depois de um longo tempo de terapia).
-
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...