Translate

quinta-feira, 8 de maio de 2014

Pergunta 3: se a vida é tão curta, por que fazemos tantas coisas que não gostamos e não fazemos tantas coisas de que gostaríamos?

O ser humano, no início de sua educação (ou seja, desde seu nascimento), é condicionado a moldar-se às exigências do ambiente, e das pessoas que nele estão. Inicialmente, este condicionamento faz muito sentido, e é até indispensável: o bebê está totalmente vulnerável e submisso a seus pais, ou a quem o está cuidando. Está certo que há pais (em especial mães) que conseguem perceber e atendem a todos os principais desejos do bebê; mas com o crescimento do mesmo, e diminuição de sua fragilidade física, cada vez menos seus pais atendem a seus anseios. e para conseguir o que quer, ele precisará a condicionar-se às exigências que lhe fazem. O normal é que um pouco deste condicionamento seja ‘quebrado’ na adolescência, porém mesmo assim, de forma inconsciente, obedecemos sem questionar a muito do que nos obrigam fazer.
Esta é a principal causa de não fazermos as coisas que gostaríamos de fazer.
Claro que estou levando em conta que sabemos bem o que queremos (e que queremos coisas saudáveis e boas para nós mesmos). Diria inclusive que um dilema maior que este é o de saber exatamente o que queremos (mas isto será objeto de análise em outro momento). 
As prioridades que damos à nossa vida de adulto em geral estão mais direcionadas ao que exigem de nós, do que o que realmente nos agrada ou queremos, inclusive quanto a nosso lazer ou diversão. Nas festas de final de ano você e sua família enfrentam horas de congestionamento até a praia? Já chegou a perguntar-lhes (e a si próprio) se vocês não prefeririam ir a um lugar mais calmo, ou até se gostaria de permanecer em casa descansando? Mas provavelmente vocês vão até a praia pois todos fazem isto também, não é verdade? Esta é a mágica do ‘condicionamento’... e você está ‘encantado por ele’. Você não é dono mais de seu tempo: as pessoas que te influenciam é que são. Você não vive mais: é vivido pelos outros. Vive para os outros, não para si próprio.
Gostaria de arranjar tempo para fazer um curso de graduação, uma faculdade? Não encontra tempo? Qual é sua prioridade afinal? Se tem algo mais importante que isto para você, no momento, então não reclame, não se pressione. Mas se você sabe que DEVERIA fazer esta faculdade agora, então largue a academia, venda o carro para economizar dinheiro, durma mais tarde, acorde mais cedo, arranje um financiamento... mas deixe de culpar os outros. O máximo que eles fizeram foi jogar o anzol, quem se fisgou foi você mesmo(a)!!!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...