Translate

quarta-feira, 16 de julho de 2014

O Tempo (14): não fique tentando impressionar as pessoas

Tentar impressionar é diferente de ser uma ‘pessoa impressionante’. Somente no último caso a imagem é verdadeira. Quem tenta impressionar está tentando ser quem não é; está buscando um reconhecimento que no geral ainda não merece (talvez não mereça nunca, enquanto tiver esta postura).
Enquanto se tenta impressionar as pessoas, você perde o tempo para realmente tentar se superar. Seu foco não está em ser melhor, está em impressionar. A chance de você criar um castelo de areia é grande. A probabilidade de você criar expectativas que não pode cumprir são gigantescas. A possibilidade de você estar gastando energia em algo que não fará diferença alguma para você alcançar seus verdadeiros objetivos na vida é quase que total.
Quando você tenta impressionar as pessoas está dando a elas um poder sobre sua vida que só você deveria ter: o de escolher o que, como, quando, e por que. Quanto mais você insiste nesta direção, mais seu foco deixará de ser seus próprios objetivos: você ficará aficionado em encantar as pessoas, e não a ir além disto.
Pessoas impressionantes são aquelas que possuem um conjunto de qualidades e defeitos que é único, o que lhes permite agir naturalmente sempre, e ainda serem apreciadas pelas pessoas. Esta apreciação é consequência, e tem algumas características que geralmente são ignoradas pelas pessoas do caso anterior.
Em primeiro lugar, as pessoas impressionantes nunca agradam a todos. As vezes agradam pouquíssimas pessoas. Mas aí reside sua liberdade de criação, e de serem originais e melhores no que fazem: não são os outros que lhes dizem onde e como devem agir. São melhores porque querem ser melhores, faz parte dos objetivos que querem alcançar na vida. Quando se tenta agradar a todos, seu nível de competência vai decaindo, até chegar ao nível do medíocre: aquele que quer ser tudo e não é nada.
Em segundo lugar, as pessoas impressionantes tem defeitos e se orgulham deles. Porque são defeitos aos olhos da sociedade e dos outros, mas em conjunto com suas qualidades, a fazem únicas! Vou citar um exemplo: nossa sociedade não gosta de pessoas introspectivas. Mas e se esta pessoa for um excelente escritor? Nossa sociedade prefere alguns tipos de padrão de beleza, mas e se esta pessoa não tão bela for a melhor médica de sua especialidade? Percebe que o que achamos ser defeito na realidade são apenas características? Depende apenas de como a pessoa aplica esta sua característica. Uma pessoa introspectiva não impressionaria muito sendo apresentadora de televisão... mas se ela se descobrir uma excelente escritora, tenho certeza que não se importará com isto.
Querer impressionar a todos é perda de tempo, e denota falta de conhecimento de si mesmo(a). Descubra quais são seus defeitos e qualidades e trate-os como únicos, características suas, que forma quem você é. Não importa o que os outros acham de você. Importa o que você acha de si próprio(a). Isto te fará impressionante, pois ninguém irá se impressionar com alguém que não aprecia a si próprio(a).
Pense nisto!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...