Translate

terça-feira, 22 de julho de 2014

O Tempo (20): não esteja fechado(a) para as críticas



Há uma grande diferença entre ouvir pessoas negativas e receber críticas. No primeiro caso, a intenção é minar sua confiança para que você pare de tentar atingir seu objetivo. No segundo, por mais ácida que seja a crítica, há sempre algo a aproveitar na opinião dos outros, desde que você ouça de forma imparcial, e se coloque no lugar do crítico.


Nós somos naturalmente desacostumados a receber críticas. Em grande parte porque desde pequenos, em geral estamos acostumados a receber elogios de nossos pais, em especial de nossa mãe, mesmo quando o que fazemos não é tão bom assim. Quando crescemos e expandimos nossos relacionamentos além das fronteiras familiares, começamos a receber uma carga cada vez maior de crítica.
É um exercício de adaptação social muito importante, mas que deve ser feito com minucioso critério, pois nem tudo que nos criticam é verdadeiro, e mesmo as críticas honestas e construtivas nem sempre são praticáveis e adequadas.
Fechar-se às críticas é diminuir seu processo de adaptação social, que por mais que não gostemos, somos obrigados pela nossa própria constituição humana: o ser humano é um ser social. Precisamos das outras pessoas inevitavelmente, queiramos ou não. E se algo que fazemos não está agradando, temos que pelo menos analisar se elas tem razão em algum ponto.
A perda de tempo quando bloqueamos este processo de adaptação vem na forma de falta de suporte das pessoas para levarmos à frente nossos projetos, nossos objetivos. Você levará muito mais tempo para conseguir o que quer se está desagradando a muita gente, e com motivos. Nada é feito à força. Você não conseguirá impor sua vontade a uma grande quantidade de pessoas, mesmo que esteja certo. Isto não significa que você tem que se moldar ao que todos a sua volta querem, não: você deve sempre agir certo, tentar aparar as arestas da sociedade para que também siga este rumo, mas seu barco inevitavelmente está no mesmo rio que todos os outros. Isto às vezes é frustrante. Mas ser do seu próprio jeito, e ainda assim conseguir ser membro da sociedade da qual faz parte é um desafio intenso: a individualidade dentro da multidão. E isto requer prestar atenção nas críticas, adaptando-se de forma a continuar sendo você mesmo, mas não ir contra o mundo inteiro.
Lembre-se: a mente é como um paraquedas: ambos não funcionam quando estão fechados!
Pense nisto!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...