Translate

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

O SEXO COMO MITO - por Eliane Robert Moraes - Filósofa


A partir da análise do conto Notas Antropofágicas e Cartas de um Sedutor, de Hilda Hilst, Eliane Robert Moraes comenta que a capacidade da fantasia erótica invade outros espaços, de preferência aqueles que são um oposto da atividade erótica, como é o caso da religião. Ainda, segundo sua opinião, a fantasia sexual é dominante, imperialista, colonialista, e coloniza tudo o que está em sua volta. Avança sobre áreas não sexuais, erotizando-as. Outros autores citados por Eliane são Sthendal e Marquês de Sade. Para Stendhal, o amor é um prazer da imaginação, e para Sade, toda felicidade do homem está na imaginação. Na concepção de Eliane, a máxima do erotismo ocidental é: amo, logo penso ou, amo, logo escrevo. 
Gravado no dia 16/4/2004.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...