Translate

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

PASSO 5: ACEITE SEUS ERROS E CORRIJA-SE ENQUANTO HÁ TEMPO

SÉRIE: 10 PASSOS PARA TER UM ANO NOVO MAIS FELIZ
Não adianta querer um ano NOVO, se você continua a ser o(a) mesmo(a). Se as coisas deram errado no ano que terminou, não jogue toda a culpa nos que estão à sua volta: querendo ou não, em alguma parte o erro também dependeu de suas escolhas e atitudes (ou falta delas). Não é necessário incriminar-se, culpar-se eternamente, nada disto. Mas deve partir de você aceitar, realmente, onde errou para que não apenas possa acertar no futuro, como também consertar as consequências dos erros do passado.
Quando aceitamos que erramos estamos diminuindo a capacidade que os complexos inconscientes que nos controlam assim o façam... tomamos com mais força as rédeas de nossa própria vida e possibilitamos, com maior chance de acerto, que o rumo que estamos tomando seja direcionado para onde queremos realmente ir. 
Errar não é nada feio ou terrível. Insistir no erro, sabendo que está errando (ou não querendo admitir) sim. Erramos por vários motivos. Erramos porque queremos demais acertar. Erramos porque amamos demais. Erramos porque não queremos errar. Erramos porque prendemos quando deveríamos deixar ir. Erramos por deixar ir quando deveríamos ficar juntos. Erramos por focar demais algo à sua frente quando o que está ao seu lado é o mais importante. Erramos por soltar a mão, quando deveríamos segurá-la com toda a força. 
Não é demérito nenhum rever seus erros no ano que passou, para começar este ano corrigindo-os e buscando acertar mais. Isto te trará muito maior chance de acertar, de conquistar a felicidade que tanto busca, em um nível maior que o ano que passou. 
Qual objetivo é mais importante para você: estar certo (e manter seu orgulho intacto) ou estar feliz sabendo que está no caminho indicado pelo seu coração?
Se ainda tem dúvidas para responder esta pergunta ou acha que o melhor é estar certo, vou citar aqui algo que aconteceu comigo meses atrás e uma conversa sobre isto que tive com outro amigo meu. Estava aguardando para atravessar uma movimentada rua, olhando para o semáforo, quando este ficou vermelho aos carros e verde para mim. Havia várias pessoas aguardando, dos dois lados da via, e eu estava com muita pressa, era meu horário de almoço do trabalho e tinha várias coisas a fazer antes de voltar. Vendo o sinal verde para mim, comecei a atravessar a via, quando senti uma forte batida em meu braço e fui jogado para trás com certa força. A motorista estava ao celular e não percebeu que o sinal estava fechado para ela, e só parou quando sentiu que me atropelou e ouvindo os gritos dos demais pedestres. Por sorte foi apenas um arranhão e algumas dores no antebraço, mas dias depois, conversando com um amigo meu, percebi que eu também estava errado. Eu tinha razão ao atravessar a via com o sinal verde de pedestres aberto para mim... mas estava errado por não aguardar todos os carros da via pararem para atravessar. Claro que, se o acidente tivesse proporções maiores, com danos maiores a mim, eu 'ganharia' uma ação judicial contra a motorista, ainda mais com tantas testemunhas que também aguardavam na faixa de pedestres e me ajudaram a socorrer. Mas de que adiantaria estar certo e inválido em uma cama de hospital? Era realmente o que meu coração queria? Claro que não.
Então, se ainda não se convenceu, pense nos seus erros como uma oportunidade de se melhorar, de evoluir, de crescer como pessoa. Estar certo sempre, ou tentar acreditar que está sempre certo, não te ajudará a melhorar como pessoa, e não te levará à tão buscada felicidade. É mil vezes melhor admitir estar errado e tentar melhorar, mas ser feliz, do que estar certo e se corroer de amargura e angústia pelas coisas boas que se está impedindo de acontecer.
Até o Passo 6, amanhã!
Adilson Cabral. 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...