Translate

domingo, 10 de abril de 2016

LIBERDADE #02: NÃO SE PRENDA À IMAGEM QUE CRIARAM DE VOCÊ!

Nossa liberdade deve ser conquistada, não é algo que nos seja dado de graça pela vida. E o segundo passo que deve ser dado para conquistá-la é assumir sua própria personalidade, que quase sempre é muito diferente da imagem que as pessoas fazem de você, e à qual se vê obrigado(a) diariamente a seguir para evitar conflitos, afastamentos, cobranças. 
A sociedade, nossos familiares, amigos, todos criam uma imagem de quem você é, para facilitar o modo de lidar contigo, e para prever seus próximos passos, sua forma de agir. É esta falsa percepção de previsibilidade que deixa as pessoas tranquilas a lidarem com você, acreditando que você é o que elas acham que é. Não importa, na realidade, para o mundo e para todos, quem você seja na realidade, desde que seja previsível, e possam lidar com você dentro dos limites que acreditam que você tem. E é nessa caixa de papelão que você encontra-se preso(a), impedindo-se de ser quem realmente é.
Se as pessoas acreditam que você é incapaz de falar um palavrão, você evitará falá-lo, mesmo que saiba que é capaz de fazê-lo. Se as pessoas acreditam que você não é bom musicista, provavelmente irá se furtar a aprender a tocar algum instrumento musical, porque, afinal, todos dizem que você não é bom nisso. Se as pessoas gostam do seu relatório no trabalho, você tenderá a congratular-se de ser bom neste tipo de serviço e poderá evitar aprender coisas novas nas quais elas não sabem (talvez você não) que seja tão bom ou melhor, somente porque não quer decepcioná-las.
O bom pai, a boa mãe, o bom irmão/irmã, o bom vizinho(a), o bom aluno(a)... são tidos assim pela sociedade dentro de um padrão estereotipado, previsível, e que evite ações que as façam pensar fora de seu MODELO MENTAL de como acham que as coisas sempre foram e sempre deveriam ser.
Seja você, seja diferente. Seja o que gostaria que fosse. 

Esta imagem que fazem de você, e à qual somos obrigados a aceitar até nos darmos conta dela, é um dos maiores instrumentos de controle social. Também nós nos utilizamos dela, para disfarçar nossos verdadeiros sentimentos, nossas verdadeiras vontades, fingindo ser quem sabemos que não somos. Mas com o passar do tempo, ela volta-se contra nós, como um uniforme que gruda na pele para nunca mais sair. Passamos a ser então fruto da nossa própria ilusão.
Pare de ser quem você não é. Não aceite a imagem que fazem de você, se sente que está longe de ser a verdadeira imagem de sua pessoa. Mesmo quando elogiam uma qualidade que sabe que não gosta em você, não caia na armadilha da busca em agradar aos outros: você tem alguém mais importante a tornar feliz, antes de tudo, que é você mesmo(a)!
Seja você, e fará todo o sacrifício, os sapos que engoliu, os desejos e vontades que teve de deixar para trás, os amores que perdeu, as chances que se foram, terem valido a pena! Às favas com o que acham de você! O que você acha de si próprio(a)?
Até o post de amanhã!
Adilson Cabral
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...