Translate

domingo, 23 de julho de 2017

RELACIONAMENTO SAUDÁVEL #06: NÓS ANTES DO EU

Uma relação saudável é muito maior que a soma das individualidades que dela fazem parte. Mas quando uma destas personalidades sofre de certo grau de narcisismo, o 'eu' vitimizado e o 'você' acusatório virão sempre antes do 'nós'. Não é tão difícil de perceber na própria fala do narcisista: conte quantas vezes ele(a) disse cada um destes pronomes, some os 'eu' e os 'você', e compare com a quantidade de 'nós'... dificilmente ele(a) admitirá, mas sua forma de pensar ainda estará focada em si mesmo(a) e não no relacionamento, no par. 
De uma forma simples, o que ocorre em um desenvolvimento normal é que após nascermos mantemos uma personalidade dependente, em geral dos pais, e nossa individualidade permanece inconsciente. Em geral por volta da adolescência e no início da fase adulta, nossa individualidade afloresce, torna-se consciente e, através de um processo não pouco doloroso (as vezes por meio de conflitos internos e externos) mantêm-se assim, até termos autoconfiança e autoconhecimento suficiente para sabermos quem somos, e sentirmos que estamos seguros enquanto seres individuais, podendo a partir daí integrar uma personalidade maior (uma relação a dois, por exemplo) sem o medo de deixarmos de ser quem somos. No narcisista, ou houveram demasiados obstáculos e conflitos nesse processo, ou então ele foi por demais acelerado por falta de limites impostos por quem deveria impô-los, em especial na infância e na adolescência. Em ambos os casos, a pessoa não se sente segura de sua verdadeira personalidade, e de tal forma entregar-se a uma relação em que deve negociar seus gostos, desejos, vontades, planos, ações em conjunto com uma outra pessoa soa-lhe como a perda do que nem mesmo conquistou por completo: a perda de si mesmo(a). 
Por esta razão, uma relação saudável deve contar com ambos os parceiros analisando problemas, soluções, planos em conjunto, a partir da visão dos dois, não de um que impõe e o outro que obedece... narcisistas em geral procuram pessoas que acreditam que irão obedecer-lhes, procuram um par que aparente ter uma personalidade mais fraca ainda que a sua, na qual podem se impor. Inconscientemente acreditam que controlando a relação poderão firmar sua própria individualidade a partir da obediência do outro... mas enquanto esse processo durar, nunca serão completos. 
Todo problema deve ser resolvido pensando no melhor para ambos na relação, mesmo que isto não 'maximize' o resultado. É o custo que as vezes temos que pagar por querer uma relação saudável, mas que se paga muito facilmente a longo prazo, na segurança e no bem estar que se logrará. Se ao tentar se justificar numa discussão seu parceiro(a) utiliza poucas vezes o 'nós', talvez não seja questão de dar-lhe mais espaço, e sim deixá-lo(a) ir para que seja capaz de tornar sua própria personalidade mais madura. Só se entrega para uma relação verdadeira, aberta, saudável, em que 'nós' é prioridade, quem sabe quem é e não tem medo do outro contribuir para sua própria personalidade, melhorando-a. Pense nisso!
Até o próximo post!
Adilson Cabral.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...